Políticas de governo e empresas públicas (1948-1963)

1955

Vista da Usina Hidrelétrica Salto, no rio Itajaí, município de Blumenau (SC). S/d. Acervo Celesc

Criação da Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. (Celesc), pelo Decreto Estadual nº 22, de 9 de dezembro, sendo autorizada a funcionar pelo Decreto Federal nº 39.015, de 11 de abril de 1956. Tendo como objetivo inicial a captação e canalização de recursos para as empresas de energia elétrica do estado, a empresa foi posteriormente transformada em holding estadual. As primeiras subsidiárias da empresa foram Empresa Luz e Força de Florianópolis S.A. (Elffa), Empresa Força e Luz Santa Catarina (EFLSC), Empresa Sul Brasileira de Eletricidade S.A. (Empresul), Força e Luz Videira S.A., Companhia Oeste de Eletricidade, Companhia Serrana de Eletricidade e Companhia Pery de Eletricidade. Iniciou a geração de energia elétrica a partir de três empreendimentos originários da Empresul – as usinas hidrelétricas Cedros, Salto e Caveiras. A primeira usina construída pela Celesc – a hidrelétrica Garcia, entrou em operação em 1963. Dois anos depois, foi iniciada a construção da linha de transmissão Tubarão-Lages-Joaçaba-São Miguel d’Oeste, base do desenvolvimento do sistema elétrico estadual.

Vista da Usina Hidrelétrica Caveiras, no rio Caveiras, município de Lages (SC). S/d. Acervo Celesc









Usina Hidrelétrica Cachoeira Dourada, no rio Paranaíba, entre os municípios de Itumbiara (GO) e Cachoeira Dourada (MG). S/d. Acervo Celg

Criação da Centrais Elétricas de Goiás S.A. (Celg), pela Lei Estadual nº 1.087, de 19 de agosto, sendo autorizada a funcionar pelo Decreto Federal nº 38.868, de 13 de março do ano seguinte, com o objetivo de garantir a energia necessária à viabilização do desenvolvimento econômico do estado de Goiás. A nova empresa deu início, ainda em 1955, à construção da Usina Hidrelétrica Cachoeira Dourada, no rio Parnaíba, município de Cachoeira Dourada. A usina entrou em operação em 1959, com 34.000 kW de capacidade total na primeira etapa, visando atender à eletrificação da cidade de Brasília (DF) e à expansão do mercado de Goiânia (GO), passando, em 1996, à responsabilidade da Centrais Elétricas de Cachoeira Dourada S.A. (CDSA). Dentre os demais empreendimentos da empresa, destaca-se a Usina Hidrelétrica São Domingos, que entrou em operação em 1990. Em 1999, a empresa passou à denominação de Companhia Energética de Goiás (Celg).

Histórico da construção da Usina Hidrelétrica Cachoeira Dourada. Tempo: 0'27". Coleção Agência Nacional – Acervo Arquivo Nacional
Criação pelo governo do estado de São Paulo, nos termos da Lei nº 3.010, de 27 de maio, da Companhia Hidrelétrica do Rio Pardo (Cherp), para execução do aproveitamento do potencial energético da bacia do rio Pardo e, mais tarde, do trecho médio do rio Tietê. Atendia o nordeste do estado de São Paulo e a área limítrofe do estado de Minas Gerais. Construiu a Usina Hidrelétrica Euclides da Cunha, no rio Pardo, inaugurada em 1960. Em 1966, integrou a fusão de empresas que originou a criação da Centrais Elétricas de São Paulo S.A. (Cesp).




Membros Instituidores e Mantenedores:

Eletrobras Eletrobras Eletrobras Eletrobras

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox