Banco de Usinas
Usina Hidrelétrica Ilha dos Pombos
Compartilhar
Nome
Usina Hidrelétrica Ilha dos Pombos
Número de registro
BC.REF-US.009
Categoria
UHE
Município/Estado
Carmo - RJ
Localização
Região
Sudeste - SE
Latitude
21° 51'
Longitude
42° 35'
Potência
167.640 kW
Data de Construção
00/06/1922
Inauguração
00/07/1924
Operação
00/07/1924
Histórico

A Usina Hidrelétrica Ilha dos Pombos, do tipo fio d'água, localiza-se no rio Paraíba do Sul, município de Carmo, estado do Rio de Janeiro. Em janeiro de 1921, o Ministério da Viação e Obras Públicas autorizou Frederick Huntress a explorar o potencial hidráulico do rio Paraíba do Sul, na altura da ilha dos Pombos. Em julho de 1922, a Brazilian Hydro Electric Company Ltd., que, em maio daquele ano, obtivera licença para funcionar no Brasil, conseguiu a transferência da concessão obtida por Huntress e, pouco depois, deu início aos trabalhos de construção da usina. Tanto a concepção quanto a execução do projeto da usina ficaram a cargo do Eng. Asa Billings. As águas chegavam à usina através de canal de 2,50 quilômetros de extensão, que, partindo de uma grande barragem, corria paralelo ao curso do rio Paraíba. A usina foi inaugurada em julho de 1924, contando com capacidade instalada de 22.000 kW. De início, a usina estava voltada exclusivamente para o abastecimento do Distrito Federal e, só na década de 1930, passou a fornecer energia, em quantidades reduzidas, para o estado do Rio de Janeiro. Em dezembro de 1925, entrou em operação o segundo grupo gerador, também com 22.000 kW e, em novembro de 1929, a capacidade da usina foi mais uma vez ampliada, com a inauguração do terceiro grupo gerador, com potência de 29.040 kW. Contando em seu conjunto com 73.040 kW instalados, a usina praticamente duplicou o potencial das unidades geradoras do Grupo Light no estado do Rio de Janeiro. Durante a Revolução de 1930, a usina, principal fornecedora de energia elétrica para o Distrito Federal, caiu na mão dos revoltosos, que tentaram paralisar a reação legalista através do corte de energia elétrica. Abastecido apenas pela usina, o Distrito Federal ficou parcialmente às escuras. Na época, a Subestação de Rio da Cidade, pertencente à Companhia Brasileira de Energia Elétrica (CBEE), foi acionada antes mesmo da inauguração, tendo que funcionar por algum tempo transferindo energia da CBEE para as empresas do Grupo Light. Com isto, garantiu-se a normalização do abastecimento ao Distrito Federal. A usina experimentou significativo incremento com a entrada em funcionamento, em setembro de 1937 e em dezembro de 1949, de mais dois grupos geradores com, respectivamente, 44.000 kW e 50.600 kW, passando a contar, então, com capacidade instalada total de 167.640 kW. A usina encontra-se atualmente, em operação funcionando com cinco geradores.

Situação atual
Usina em operação.
Última atualização
00/00/1999