Banco de Usinas
Usina Hidrelétrica Bananeiras
Compartilhar
Nome
Usina Hidrelétrica Bananeiras
Categoria
UHE
Município/Estado
Conceição de Feira - BA
Localização
Região
Nordeste - NE
Latitude
12° 30'
Longitude
39° 04'
Potência
9.000 kW
Data de Construção
10/10/1910
Inauguração
00/00/1920
Operação
00/00/1920
Histórico
A Usina Hidrelétrica Bananeiras, do tipo bacia de acumulação, localizava-se na cachoeira de Bananeiras, no rio Paraguaçu, município de Conceição de Feira, estado da Bahia. A história de sua construção teve início quando a Guinle & Companhia adquiriu, através do Decreto n.º 5.646, do Ministério de Viação e Obras Públicas, de 22 de agosto de 1905, a concessão para exploração industrial da energia gerada pelo aproveitamento hidrelétrico da cachoeira de Bananeiras. Em 27 de maio de 1909, a Guinle & Companhia, tendo à frente Cândido Gaffrée e Eduardo Guinle, criou a Companhia Brasileira de Energia Elétrica (CBEE), para a qual transferiu esta concessão, com autorização do governo estadual, pelo Decreto n.º 720, em 10 de março de 1910. Em seguida, foram iniciadas as obras da primeira Barragem de Bananeiras, projetada pelo Eng. Américo Furtado de Simas. A usina foi inaugurada em 1920. Com capacidade instalada total de 11.250 kW, produzia, no entanto, a 4.100 kW, devido à pequena altura da barragem, que era de apenas 6 metros, sempre dependente do volume do rio. Em 1929, foi criada a Companhia Energia Elétrica da Bahia (CEEB) que, neste mesmo ano, incorporou a CBEE, passando a operar a usina. Com a criação da CEEB, foi construída, em período de dois anos, a segunda Barragem de Bananeiras, denominada Jerry O'Connell. Reinaugurada em 1929, contava com três grupos geradores de 3.000 kW cada, compostos de turbinas Pelton e geradores General Electric. A usina atendia a Salvador e à maioria dos municípios baianos operados pela CEEB. O município de Salvador era atendido por linha de transmissão de 107 quilômetros de extensão, entre a usina e a Subestação Lapinha, onde ocorria a conversão de 66.000 para 11.000 volts. Em 1940, a CEEB construiu sobre o vertedouro, barragem móvel de 2,50 metros de altura, aumentando consideravelmente o volume de água armazenado na represa e ampliando a capacidade das máquinas da usina. As instalações construídas pela CEEB foram suficientes para o abastecimento da área suprida pela usina por muitos anos. Por este motivo, o estado da Bahia foi um dos menos atingidos pelo racionamento ocorrido no país, no período durante e após a Segunda Guerra Mundial. Em 1960, a usina passou à Centrais Elétricas do Rio das Contas S.A. (Cerc). No final de 1967, foi ultimada a transferência da usina para a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). Atualmente, a usina, com a antiga barragem, casa de força e turbinas, encontra-se submersa pelas águas da barragem de Pedra do Cavalo, construída na década de 1980 para solucionar o abastecimento de água em Salvador.
Situação atual
Usina desativada.
Última atualização
00/00/1999
?>