Personalidades do Setor
Antônio Ferreira Oliveira Britto
Compartilhar
Nome
Antônio Ferreira Oliveira Britto
Nome para referências
BRITO, Oliveira, 1908
Nascimento
1908-10-08
Verbete

BRITO, Oliveira Ministro das Minas e Energia; presidente da Chesf

Antônio Ferreira de Oliveira Brito nasceu em Ribeira do Pombal (BA) no dia 8 de outubro de 1908. Formou-se pela Faculdade de Direito da Bahia em 1933, especializando-se em Direito Penal. Iniciou sua carreira política no Partido Social Democrático (PSD), exercendo mandato de deputado estadual constituinte na Bahia (1947-1951). Licenciando-se do mandato, ocupou a Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia no governo de Otávio Mangabeira (1947-1951). Eleito deputado federal em 1950, 1954 e 1958, foi relator da comissão do Congresso Nacional que analisou o pedido de impedimento do vice-presidente da República João Belchior Marques Goulart, feito pelos ministros militares, logo após a renúncia do presidente Jânio da Silva Quadros, em agosto de 1961. Manifestando sua oposição ao pedido de impedimento, defendeu a instituição do parlamentarismo como solução para a crise então instaurada - solução essa que viria assegurar a posse de João Goulart.

Foi nomeado ministro da Educação e Cultura do novo governo e esteve à frente da pasta de setembro de 1961 a junho de 1962, período em que se licenciou novamente de suas funções parlamentares. Reeleito deputado federal em 1962, foi escolhido líder da maioria no Congresso. No ano seguinte, encarregado por João Goulart, denunciou como lesivos aos interesses do país os termos do contrato de compra das empresas subsidiárias da American & Foreign Power Company (Amforp) e da International Telegraph and Telephone (ITT) pelo governo brasileiro, negociado pelo embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Roberto de Oliveira Campos, e autoridades norte-americanas. Resultado de denúncias feitas também pelo deputado Leonel de Moura Brizola, a crise acabou levando à suspensão das negociações e culminou na reforma do ministério, em junho de 1963, já na fase presidencialista da gestão de João Goulart. Indicado para a pasta das Minas e Energia em substituição a Eliezer Batista da Silva, Oliveira Brito mais uma vez licenciou-se da Câmara dos Deputados. Sua gestão nessa pasta foi marcada por iniciativas visando à expansão da capacidade energética do país e à reformulação do Fundo Federal de Eletrificação (FFE), entre outras medidas. No campo siderúrgico, foram inauguradas as Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas), a Companhia Siderúrgica Paulista (Cosipa) e a Ferro e Aço de Vitória.

Deixou a pasta em 1° de abril de 1964, em decorrência da deposição de João Goulart. Foi sucedido no cargo por Arthur da Costa e Silva, interinamente, e por Mauro Thibau, em caráter definitivo, em 17 do mesmo mês. De volta à Câmara do Deputados, no ano seguinte ingressou no Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido criado após a instauração do bipartidarismo, em novembro de 1965. Em 1966, transferiu-se para a Aliança Renovadora Nacional (Arena) e foi reeleito para mais um mandato. Esteve licenciado da Câmara de abril de 1967 a novembro de 1968 e a partir de dezembro desse último ano para chefiar a Secretaria de Estado da Bahia no governo de Luís Viana Filho (1967-1971). Em setembro de 1969 teve seu mandato cassado com base no Ato Institucional n° 5, de 13 de dezembro de 1968.

Voltou à vida pública em 1985, quando assumiu a Presidência da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), em substituição a Rubens Vaz da Costa. Durante sua gestão, foram iniciadas as obras de construção das novas cidades de Petrolândia, em Pernambuco, e Itacuruba, Rodelos e Barra do Tarrachil, na Bahia, que substituíram as cidades de mesmo nome inundadas para a construção do reservatório da Usina Hidrelétrica Luís Gonzaga, também denominada Usina Hidrelétrica Itaparica. Deixou a Presidência da Chesf em 1987, sendo sucedido por José Carlos Aleluia Costa. Durante sua carreira política foi também prefeito de sua cidade natal. Faleceu em Salvador (BA) no dia 3 de julho de 1997.

Trajetória profissional

Companhia Hidro Elétrica do São Francisco

Cargo: Presidente da Chesf

Início: 1985

Término: 1987

Ministério das Minas e Energia

Cargo: Ministro de Minas e Energia

Início: 1963

Término: 1964

Formação Acadêmica

Curso: Direito, na Faculdade de Direito da Bahia, Salvador (BA), em 1933

Local de nascimento
Ribeira do Pontal (BA)
Local de falecimento
Salvador (BA)