Memória da Eletricidade lança revista digital trimestral

Postado em 30/03/2021
Luiz H. Romanholli
Compartilhar

Imagem da home do site da revista "Comunicação & Memória"

A Memória da Eletricidade lança hoje "Comunicação & Memória", uma revista sobre preservação de acervos, memória e comunicação cultural. Criada com o objetivo de compartilhar informações relevantes e conteúdos especializados sobre esses campos do conhecimento, a publicação trimestral chega ao público em versões impressa e digital, com site próprio. A primeira edição tem como tema "Instituições culturais em tempos de pandemia" e reúne artigos de especialistas, entrevistas, resenhas e informações sobre eventos.

Augusto Rodrigues, presidente da Memória da Eletricidade e editor-chefe da revista, explica que "Comunicação & Memória" nasce a partir de uma reflexão sobre as mudanças e restrições impostas pela pandemia de Covid-19 e suas consequências para bibliotecas e museus. A ideia é discutir essas instituições no pós-pandemia, depois da fase que vivemos hoje, batizada por Augusto de "estado de suspensão hiperconectada".

– A revista nasce da nossa preocupação sobre como as bibliotecas e os museus funcionarão depois da pandemia. Lá atrás, antes da pandemia, já estávamos muito preocupados com a tecnologia da informação, as redes digitais. E percebendo claramente que a meninada não acessa mais o conhecimento através da leitura de livros impressos – constata. – Fiz um trabalho na TV Cultura em que me reuni com um grupo de jovens e a conversa com os meninos era exatamente esta: uma relação brutal com o celular, a internet, a tela do computador. Era impressionante como eles tinham clareza em relação ao mundo que está aí, do ponto de vista político e econômico. Mas o acesso é todo pela tecnologia da informação.

A partir dessa percepção, que ocorreu antes da pandemia, o projeto da revista "Comunicação & Memória" começou a ganhar corpo.

– Quando a pandemia acontece, ela nos dirige, brutalmente, para esse mundo da internet, tornando-nos muito mais dependentes do celular. do computador e das redes sociais do que éramos antes. O mesmo acontece com o conhecimento, porque as pessoas precisam se atualizar. Mesmo no setor elétrico, esse conhecimento não chega mais só por livros impressos. Há os blogs, os sites... – diz. – Daí, nasceu nosso questionamento e o tema da primeira edição: como funcionarão as nossas bibliotecas e os nossos museus daqui para frente.

Editora-executiva de "Comunicação & Memória" ao lado de Ana Paula Goulart, a gerente de Acervo e Pesquisa de Memória da Eletricidade, Amanda Carvalho ressalta a importância desse lançamento no Brasil de hoje:

– A memória é um conceito plural que não se esgota e que pode ser tratado de diversas formas. Quando lançamos uma revista sobre memória e comunicação não estamos abrindo apenas mais uma frente de difusão de saberes, mas valorizando e instigando debates essenciais para a construção de sentido, identidade e pertencimento. 

Consultora de Comunicação e Memória da instituição, Ana Paula Goulart conta que a publicação se destina ao leitor em geral e não apenas aos especialistas e profissionais comunicação e preservação histórica.

– A revista se direciona a um público de formação variada, interessado em entender o mundo contemporâneo em toda sua complexidade e contradições – explica. – Vivemos um tempo de profundas transformações, marcado por dinâmicas formas de comunicação e de memória. Entendemos que esses dois fenômenos estão, hoje, intrinsecamente relacionados e que essa relação é uma chave de leitura potente para compreendermos os dilemas e desafios da contemporaneidade.

Ela destaca ainda um caráter particular de "Comunicação & Memória":

– No Brasil, há muitas revistas voltadas para a comunicação e para a área de arquivo e patrimônio. Mas nenhum periódico se dedica a entender a intrínseca relação entre comunicação e memória no mundo contemporâneo. 

A primeira edição reúne 17 artigos e três entrevistas. Entre os articulistas estão o historiador francês François Hartog, a professora da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ) Marialva Barbosa, a professora Lia Calabre (Casa de Rui Barbosa e Universidade Federal Fluminense) e a secretária executiva de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Cláudia Maria Mendes de Almeida. Christian Dunker, psicanalista e professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, Eugênio Bucci, jornalista, escritor e professor titular da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, e Beatriz Kushnir, professora do Programa de Pós-graduação em Gestão de Documentos e Arquivos na UniRio são os entrevistados.

Ana Paula Goulart explica como a equipe da revista chegou aos nomes convidados para colaborar na primeira edição:

– Entender a comunicação e a memória no mundo contemporâneo é um desafio que exige uma visão transdisciplinar. Por isso, nossos colaboradores são de diferentes campos do conhecimento. Nossos convidados são profissionais e intelectuais com reconhecimento notório em suas respectivas áreas de atuação ou pesquisadores que desenvolvem investigações criativas e inovadoras.

Amanda Carvalho acrescenta que, futuramente, a intenção é abrir chamadas para que artigos sejam submetidos à equipe editorial da revista.

– De qualquer forma, nessa edição de abertura convidamos especialistas de campos diversos de atuação para falar sobre a reviravolta vivenciada no setor cultural durante a pandemia, apresentar experiências profissionais e traçar um paralelo com períodos pandêmicos já vivenciados – diz. – Também procuramos abordar a experiência com o digital, que foi completamente amplificada com advento do isolamento social.  

A equipe de "Comunicação & Memória" conta ainda com a editora de conteúdo Cristiane Nascimento, a produtora editorial Claudia Trigueiro, a pesquisadora responsável Bruna Martoni e a pesquisadora de imagens Vanessa Baranda. Lorenzo Aldé é responsável pela preparação dos textos e Mary Paz Guillén cuida da direção de arte.

Clique aqui para conhecer a revista "Comunicação & Memória".

Luiz H. Romanholli