Personalidades do Setor
Altino Ventura
Compartilhar
Nome
Altino Ventura
Nome para referências
VENTURA FILHO, Altino, 1942
Nascimento
1942-11-20
Verbete

Altino Ventura Filho nasceu em Recife (PE) no dia 20 de novembro de 1942. Formado engenheiro-eletricista pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 1965, fez pós-graduação na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Universidade de São Paulo (USP).

Integrou o quadro de professores da UFPE, entre 1964 e 1970. De 1968 a 1970, atuou como engenheiro do Departamento de Energia da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Esse departamento era então responsável pelo planejamento da expansão do sistema elétrico da região Nordeste, atuando sobre a distribuição de energia elétrica e na realização de estudos de mercado e de geração. Na Sudene, Ventura Filho participou da realização de um estudo de mercado, tendo visitado vários estados nordestinos para a coleta de informações. Coordenou também estudo para instalação de uma usina hidrelétrica reversível, trabalho em função do qual recebeu bolsa do governo do Japão, tendo permanecido naquele país por quatro meses.

A partir de agosto de 1970, ainda como engenheiro da Sudene, transferiu-se para a cidade do Rio de Janeiro, onde passou a colaborar com o Comitê Coordenador dos Estudos Energéticos da Região Nordeste (Enenorde). Nesse ano, e em 1971, participou de um estudo de mercado desenvolvido pelo comitê tendo com horizonte o ano de 1985, encarregando-se da divisão da região Nordeste em zonas elétricas e de um estudo sobre iluminação pública.

Em abril de 1972, na gestão de Mario Penna Bhering na Presidência da Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) e sendo Leo Amaral Penna diretor de Planejamento e Engenharia da estatal, Ventura Filho foi admitido no Departamento de Planejamento dessa diretoria. Dois anos depois, passou a integrar o Departamento de Estudos Energéticos, um dos quatro departamentos resultantes da reestruturação da Diretoria de Planejamento e Engenharia, ao qual foram atribuídos os estudos de planejamento de geração. Por essa razão, esse departamento veio a ser considerado como um precursor do futuro Grupo Coordenador do Planejamento dos Sistemas Elétricos (GCPS), que seria criado mais tarde, em 1980.

Ventura Filho participou da elaboração de algumas das mais importantes iniciativas desenvolvidas pela Eletrobras, no âmbito desse departamento, destacando-se o Plano 90, de 1974, o Plano 92, de 1977, e o Plano 95, concluído em 1979, o qual caracterizou o primeiro plano oficial contemplando o país como um todo e que contou com a participação das empresas de energia elétrica de maior relevo.

Foi chefe da Divisão de Planejamento da Geração do Departamento de Geração da Eletrobras, em 1981 e 1982. Assumiu a Chefia do mesmo Departamento em meados do ano seguinte, permanecendo nesse último cargo até 1989, e passando a Chefe do Departamento de Estudos Energéticos, cargo que exerceu de 1989 a 1991.

Foi nomeado chefe da Secretaria Executiva do GCPS em fevereiro de 1991, época em que exercia o cargo de Coordenador do Comitê Técnico de Estudos Energéticos do mesmo órgão, exercendo essa função até 1996. Também de 1991 a 1996, foi assistente da Diretoria de Planejamento e Engenharia da Eletrobras.

Participou da elaboração do Plano 2010, considerado o primeiro plano de longo prazo realizado com a participação efetiva do GCPS, e atuou como coordenador-adjunto do Plano 2015, que contemplou de forma inédita a questão ambiental, objeto de tratamento detalhado nesse documento.

Em 1996, tornou-se diretor técnico executivo da Itaipu Binacional. Em junho de 1998, passou a exercer em caráter interino a Diretoria-Geral da empresa, em substituição a Euclides Girolamo Scalco, que havia sido exonerado, a pedido, para assumir a coordenação política da campanha à reeleição do presidente Fernando Henrique Cardoso. Com a nova nomeação de Scalco, após o primeiro turno das eleições, em outubro, e a reeleição do presidente da República, Ventura Filho foi reconduzido à Diretoria Técnica Executiva. Deixou esse cargo em abril de 2002 para assumir a Presidência da Eletrobras, substituindo nessa ocasião o presidente interino Nereu Ramos, o qual, por sua vez, havia sido empossado no lugar de Cláudio Ávila da Silva.

Foi também presidente do Conselho de Administração de Furnas e integrou o Conselho de Administração da Itaipu Binacional e da Eletrobras.

Trajetória profissional

Centrais Elétricas Brasileiras S.A.

Cargo: Presidente da Eletrobras

Início: 2002

Término: 2003

Itaipu Binacional

Cargo: Diretor-Geral Brasil da Itaipu Binacional

Início: 1998

Término: 1998

Itaipu Binacional

Cargo: Diretor Técnico Executivo da Itaipu Binacional

Início: 1996

Término: 2002

Centrais Elétricas Brasileiras S.A.

Cargo: Chefe da Divisão de Planejamento da Geração da Eletrobras

Início: 1981

Término: 1982

Centrais Elétricas Brasileiras S.A.

Cargo: Chefe do Departamento de Geração da Eletrobras

Início: 1983

Término: 1989

Centrais Elétricas Brasileiras S.A.

Cargo: Chefe do Departamento de Estudos Energéticos da Eletrobras

Início: 1989

Término: 1991

Formação Acadêmica

Curso: Engenharia-Elétrica, na Universidade Federal de Pernambuco, Recife (PE) em 1965

Local de nascimento
Recife (PE)