Casa dos anos 1950


Nos anos 50, as grandes cidades brasileiras cresciam aceleradamente e os melhoramentos nos serviços básicos de saneamento, iluminação, transporte e comunicação já atendiam grande parte das residências. A vida doméstica já era impensável sem a energia elétrica e a casa se organizava a partir de seu uso. Nas salas, além do rádio, presença cotidiana desde os anos 1920, a vitrola ganhou lugar de destaque. Canções da moda, como a versão nacional para Stupid Cupid, de Neil Sedaka, na voz de Celi Campello, sucesso estrondoso de 1959, dividiam as atenções com a audiência das notícias do Repórter Esso, transmitido desde 1941. Mas foi, sem dúvida, a chegada da televisão ao país, em 1950, que trouxe as maiores alterações na ordenação do espaço doméstico. Os novos aparelhos, ainda muito caros nos anos 1950 e restritos aos lares mais abastados, logo se transformaram no núcleo do divertimento em família. Os eletrodomésticos também se popularizavam cada vez mais. As cozinhas já podiam contar com liquidificadores, aspiradores de pó, enceradeiras e refrigeradores produzidos no país. Em 1957, alguns modelos de geladeiras Brastemp traziam a novidade do uso das portas para a guarda de garrafas, ovos e laticínios. Dois anos depois a mesma empresa lançava a primeira lavadora de roupas automática no país.

Assista o vídeo e surpreenda-se:

* Para assistir o vídeo em tela inteira, clique duas vezes sobre ele.




Membros Instituidores e Mantenedores:

ABCE CEMIG LIGHT ITAIPU BINACIONAL ELETROBRAS

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox