Privatização e reformas (1992-2010)

1999

Entrada em operação da Usina Hidrelétrica Governador José Richa ou Salto Caxias, construída pela Companhia Paranaense de Energia (Copel) no rio Iguaçu, em área do município de Capitão Leônidas Marques (PR). Com mais de um quilômetro de comprimento e altura média de 67 metros, a barragem da usina é a maior estrutura em concreto compactado com rolo (CCR) do país. As quatro unidades geradoras da usina perfazem 1.240 MW.
Entrada em operação da primeira etapa da Interligação Norte-Sul, marco fundamental da constituição do Sistema Interligado Nacional (SIN). O empreendimento estabeleceu a conexão elétrica entre os sistemas Norte-Nordeste e Sul-Sudeste-Centro Oeste, mediante a implantação de 1.270 quilômetros de linhas de transmissão de 500 kV, entre as subestações de Imperatriz (MA) e Samambaia (DF), propiciando o funcionamento otimizado dos reservatórios para a transmissão dos excedentes energéticos do Norte/Nordeste em direção ao Sudeste e vice-versa. Planejada pela Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras), a obra foi realizada Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. (Eletronorte) e por Furnas Centrais Elétricas S.A.
Entrada em operação do Gasoduto Brasil-Bolívia, entre as cidades de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e Campinas (SP). O empreendimento foi implantado por consórcio formado pela Petrobrás/Gaspetro, pela estatal boliviana Yacimentos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) e por empresas multinacionais.
Criação da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP), em abril, a partir da divisão dos ativos da estatal paulista Companhia Energética de São Paulo (CESP), dentro do programa de privatização do governo estadual. Em 2001, a CTEEP incorporou a Empresa Paulista de Transmissão de Energia Elétrica (EPTE), resultante do desmembramento da Eletropaulo.
Instituição do Programa Nacional de Eletrificação Rural Luz no Campo, pelo Decreto Presidencial s/nº promulgado em de 2 de dezembro. Concebido pelo Ministério de Minas e Energia (MME) com o objetivo de eletrificar um milhão de propriedades rurais até 2002, o programa contou com o suporte técnico, financeiro e administrativo da Centrais Elétricas Brasileiras S.A (Eletrobras).Prorrogado até 2003, o programa promoveu a eletrificação de 648 mil propriedades e domicílios rurais em ais de 3.700 municípios brasileiros.




Membros Instituidores e Mantenedores:

ABCE CEMIG LIGHT ITAIPU BINACIONAL ELETROBRAS

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox