Regulamentação e aumento da capacidade instalada (1931-1945)

1940

Regulamentação das usinas termelétricas do país, mediante sua integração às disposições do Código de Águas, pelo Decreto-Lei nº 2.281, de 5 de junho.

Inauguração da Usina Hidrelétrica Fontes Nova, ampliação da Usina Hidrelétrica Fontes Velha, da Rio de Janeiro Tramways, Light & Power Company Ltd., marco da ampliação de oferta de energia elétrica promovida no período pelas empresas do grupo Light. Localizada no Reservatório de Lajes, ao lado de Fontes Velha, no município de Piraí (RJ), a usina entrou em operação com uma unidade geradora de 48.000 kW de potência, à qual se somaram outras duas, em 1942 e 1947, respectivamente, totalizando 144.000 kW de potência. Dando continuidade aos investimentos em aumento da capacidade geradora, o grupo Light iniciou a construção, em 1946, da Usina Subterrânea Henry Borden II ou Cubatão II, em São Paulo, em face da necessidade de ampliação da hidrelétrica Henry Borden I ou Cubatão, de 1926. A nova usina entrou em operação em 1956, com 279.956 kW de potência. Também em 1946, foi iniciada a construção da hidrelétrica Nilo Peçanha I, no estado do Rio de Janeiro, que entrou em operação em 1953, no ano seguinte à inauguração da usina elevatória de Vigário, configurando e fortalecendo o sistema de geração de Fontes. A hidrelétrica Ilha dos Pombos, no rio Paraíba do Sul, estado do Rio de Janeiro, foi acrescida de dois novos grupos geradores, em 1937, com 44.000 kW, e em 1949, com 50.600 kW de potência, respectivamente.





Membros Instituidores e Mantenedores:

Eletrobras Eletrobras Eletrobras Eletrobras

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox