Regulamentação e aumento da capacidade instalada (1931-1945)

1940

Regulamentação das usinas termelétricas do país, mediante sua integração às disposições do Código de Águas, pelo Decreto-Lei nº 2.281, de 5 de junho.

Inauguração da Usina Hidrelétrica Fontes Nova, ampliação da Usina Hidrelétrica Fontes Velha, da Rio de Janeiro Tramways, Light & Power Company Ltd., marco da ampliação de oferta de energia elétrica promovida no período pelas empresas do grupo Light. Localizada ao lado de Fontes Velha, no município de Piraí (RJ), a usina entrou em operação com uma unidade geradora de 48.000 kW de potência, à qual se somaram outras duas, em 1942 e 1947, respectivamente, totalizando 144.000 kW de potência. Dando continuidade aos investimentos em aumento da capacidade geradora, o grupo Light iniciou a construção, em 1946, da Usina Subterrânea Henry Borden II ou Cubatão II, em São Paulo, em face da necessidade de ampliação da hidrelétrica Henry Borden I ou Cubatão, de 1926. A nova usina entrou em operação em 1956, com 279.956 kW de potência. Também em 1946, foi iniciada a construção da hidrelétrica Nilo Peçanha I, no estado do Rio de Janeiro, que entrou em operação em 1953, no ano seguinte à inauguração da usina elevatória de Vigário, configurando e fortalecendo o sistema de geração de Fontes. A hidrelétrica Ilha dos Pombos, no rio Paraíba do Sul, estado do Rio de Janeiro, foi acrescida de dois novos grupos geradores, um com 44.000 kW em 1937 e outros com 50.600 kW de potência em 1949.





Membros Instituidores e Mantenedores:

ABCE CEMIG LIGHT ITAIPU BINACIONAL ELETROBRAS

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox