Políticas de governo e empresas públicas (1948-1963)

1952

Usina Hidrelétrica Jaguara, localizada no rio Grande, entre os estados de São Paulo e Minas Gerais. S/d. Acervo Cemig

Criação, em 22 de maio e com base na Lei Estadual nº 828, de 14 de dezembro de 1951, da Centrais Elétricas de Minas Gerais S.A. (Cemig), para construir e explorar sistemas de produção, transformação, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica no estado de Minas Gerais. O programa inicial da Cemig baseou-se no Plano de Eletrificação do Estado de Minas Gerais, elaborado pelo engenheiro Lucas Lopes em 1950. Quando de sua constituição, a Cemig incorporou as ações do governo estadual da Companhia de Eletricidade do Alto Rio Doce (Ceard), da Companhia de Eletricidade do Médio Rio Doce (CEMRD), da Companhia de Eletricidade do Alto Rio Grande (Cearg) e da Central Elétrica do Piau, empresas criadas em 1951 para construir, respectivamente, as hidrelétricas de Salto Grande, Tronqueiras, Itutinga e Piau. Em 1962, a Cemig celebrou contrato com o consórcio Canambra para estudos de avaliação do potencial hidráulico de Minas Gerais e de parte do estado de Goiás, que resultou, entre outros, na recomendação de rol de empreendimentos, dentre os quais a Usina Hidrelétrica Jaguara, cuja construção foi iniciada pela empresa em 1966. Entre os anos 1960 e 1980, a Cemig incorporou, além de suas quatro subsidiárias iniciais, a Companhia Sul Mineira de Eletricidade (CSME), a Empresa Luz e Força Ituiutabana (Elfisa), a Companhia Luz e Força de Minas Gerais (CLFMG), a Companhia Mineira de Eletricidade (CME), a Eletrificação Rural de Minas Gerais (Ermig) e os bens da Companhia Prada de Eletricidade no estado. A empresa passou à denominação de Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) em 1984. Em 1997, o consórcio Southern Electric Brasil Participações (Southern Electric, AES e Opportunity) adquiriu 32,96% do capital ordinário da Cemig. Em 2004, a Cemig desmembrou-se nas subsidiárias integrais Cemig Distribuição S.A. e Cemig Geração e Transmissão. Dentre as 55 usinas operadas pela Cemig, destacam-se, em termos de capacidade instalada, as de São Simão e Emborcação, ambas no rio Paranaíba.
Criação, pelo governo do estado do Amazonas, nos termos da Lei nº 1.654, de 28 de julho, da Companhia de Eletricidade de Manaus (CEM). A nova empresa incorporou a Manaus Tramways & Light Company Ltd., com o objetivo de gerar, transmitir e distribuir energia elétrica à cidade de Manaus (AM). Em 1962, a nova empresa colocou em operação a Usina Termelétrica Aparecida, com capacidade inicial de 22,5 MW. Três anos depois, tornou-se subsidiária da Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobrás). Em 1973, inaugurou a Usina Termelétrica Mauá, com capacidade inicial de 37 MW. Em 1980, recebeu, em transferência da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), a Usina Termelétrica Electron, com 120 MW. A CEM foi incorporada pela Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. (Eletronorte) em 1981.




Membros Instituidores e Mantenedores:

Eletrobras Eletrobras Eletrobras Eletrobras

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox