Consolidação e crise do modelo estatal (1964-1990)

1984

Usina Hidrelétrica Tucuruí, no rio Tocantins, próxima à cidade de Tucuruí (PA). S/d. Acervo Eletronorte

Entrada em operação da Usina de Tucuruí, primeira hidrelétrica de grande porte construída na Amazônia. Situada no rio Tocantins, no município de Tucuruí (PA), distante 300 km em linha reta de Belém, a usina foi incluída entre os empreendimentos prioritários do II Plano Nacional de Desenvolvimento (II PND), levando em conta a grande demanda de energia de projetos de indústrias eletrointensivas na Amazônia e também o atendimento à região Nordeste.
A Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. (Eletronorte), criada em 1973, realizou os estudos de viabilidade técnica da usina e iniciou sua construção em 1976. A primeira etapa do empreendimento foi concluída com 12 unidades geradoras de 350 MW e duas unidades auxiliares, perfazendo 4.245 MW de potência em 1992. A linha de transmissão entre os municípios de Presidente Dutra (MA) e Boa Esperança (PI) possibilitou a interligação com a Região Nordeste. As obras da segunda etapa de Tucuruí tiveram início em junho de 1998, visando à duplicação da potência instalada da usina e a conclusão do sistema de transposição de sua barragem por meio de duas eclusas. A segunda casa de força da hidrelétrica abriga onze unidades geradoras de 375 MW que foram colocadas em operação entre 2003 e 2007, elevando a capacidade nominal do aproveitamento para 8.370 MW.

Visita do presidente da República, Ernesto Geisel, às obras da Usina Hidrelétrica Tucuruí no Pará. Presentes a primeira-dama, Luci Geisel; o ministro das Minas e Energia, Shigeaki Ueki; o ministro dos Transportes, Dirceu Nogueira; e o governador do Estado do Pará, Aluísio Chaves; e o presidente da Eletronorte, Raul Garcia Llano. 7 de julho de 1978. Tempo: 1'21" Coleção Agência Nacional – Acervo Arquivo Nacional


Torre do primeiro circuito em 500 kV, da linha de transmissão Norte-Nordeste. S/d. Acervo Eletronorte

Usina Hidrelétrica Itaipu, no rio Paraná, entre o Brasil e o Paraguai. S/d. Acervo Itaipu

Entrada em operação da Usina Hidrelétrica de Itaipu, a maior do mundo em produção de energia. Localizada no rio Paraná, em área dos municípios de Foz do Iguaçu (PR) e Ciudad del Este, no Paraguai, foi construída e é operada pela Itaipu Binacional, entidade gerida, em partes iguais, por Brasil e Paraguai. Os estudos de viabilidade e o projeto básico foram realizados pelo consórcio entre a empresa norte-americana Internacional Engineering Company (IECO) e a italiana Electroconsult Spa (ELC). O projeto final foi desenvolvido pelas empresas brasileiras Themag, Engevix, Promon e Hidroservice em cooperação com firmas paraguaias. As obras civis, iniciadas em 1975, foram divididas entre dois consórcios de construtoras, um de cada país. O consórcio brasileiro, denominado União de Construtores (Unicon), reuniu as maiores empresas de construção civil pesada do país. Na execução do empreendimento, merecem destaque: a abertura do canal de desvio do rio Paraná, em 1978; a conclusão da barragem e o início da formação do reservatório, em 1982; a entrada em operação da 18ª unidade geradora em 1991, quando a usina atingiu os 12.600 MW de potência do projeto original; e a inauguração de duas novas unidades em 2007, perfazendo o total de 14.000 MW de capacidade instalada.




Membros Instituidores e Mantenedores:

ABCE CEMIG LIGHT ITAIPU BINACIONAL ELETROBRAS

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox