Telegráfo


Aparelho telegráfico de Samuel Morse. Acervo Museu de Ciências de Londres

A comunicação à distância começou a se tornar realidade em 1831, quando o cientista inglês Michael Faraday e o físico norte-americano Joseph Henry descobriram a indução eletromagnética, ou seja, a possibilidade de se transformar energia mecânica em energia elétrica. Naquele ano, Faraday publicou sua famosa teoria da indução magnética que Henry demonstrou quando criou o primeiro eletromagneto, uma espécie de imã que enviava impulsos elétricos por um fio com mais de 1.600 metros de extensão, e que, chegando à outra ponta, faziam um sino tocar.

Foram os estudos de Faraday e Henry sobre indução e eletromagnetismo que estimularam o inventor norte-americano Samuel Morse, em 1838, a conectar diversos transmissores e receptores magnéticos e desenvolver um código que seria a base do telégrafo, primeiro sistema eficiente de comunicação através de fios. No código de Morse, cada letra do alfabeto era identificada por uma combinação de toques em uma chave de metal: toques rápidos, também conhecidos por pontos, e toques longos, também chamados de traços, que, nos anos seguintes, tornaram-se uma “linguagem” universal.

Apesar da resistência da população, que temia os choques elétricos que poderiam ser gerados pelo novo sistema de comunicação, a primeira linha telegráfica dos Estados Unidos foi posta em funcionamento em 1843. Os cabos ligavam as cidades de Washington e Baltimore, percorrendo cerca de 60 quilômetros. Nos anos seguintes, quase todo o continente americano foi interligado em um sistema complexo que contava com milhares de quilômetros de cabos aéreos e, em 1858, foi inaugurado o primeiro cabo submarino que seguia para a Europa. Na inauguração da comunicação intercontinental, a rainha Vitória da Inglaterra enviou uma mensagem de 90 palavras ao presidente americano James Buchanan, felicitando-o pela iniciativa.

Todavia, embora o telégrafo de Morse tenha se expandido com sucesso e em tão pouco tempo, o sistema inicial apresentou alguns problemas. Um transtorno era causado pelos receptores que, inicialmente, utilizavam um instrumento pontiagudo para perfurar o código em papel. Como as perfurações eram imprecisas, o problema só foi resolvido quando os receptores foram substituídos por aparelhos sonoros, em meados da década de 1850. De qualquer forma, os pontos e traços eram transmitidos por operadores diferentes, e o tempo de pressão nas teclas variava muito, confundindo o operador que estava na outra ponta.

CURIOSIDADE
Você sabia que a primeira linha telegráfica brasileira foi inaugurada pelo imperador Dom Pedro II, em 1852, no Rio de Janeiro? Os cabos aéreos ligavam o Palácio Imperial de São Cristóvão ao Quartel General do Exército, percorrendo um trecho de cerca de quatro quilômetros. Em 1865, durante a Guerra do Paraguai, a rede chegou a Porto Alegre e, em 1874, o primeiro telegrama brasileiro para a Europa foi enviado, por iniciativa do barão de Mauá, através de um cabo submarino que partia do Rio de Janeiro e atravessava o Oceano Atlântico até Portugal.




Membros Instituidores e Mantenedores:

Eletrobras Eletrobras Eletrobras Eletrobras

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox