Políticas de governo e empresas públicas (1948-1963)

1959

Criação, pela Lei Estadual nº 1.196, de 16 de outubro, da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba). A empresa foi constituída com a finalidade de realizar serviços de energia elétrica em todo o estado da Bahia. Incorporou a Centrais Elétricas do Rio das Contas (Cerc), em 1968; a Companhia Maragogipana de Eletricidade, em 1970; a Companhia de Energia Elétrica da Bahia (CEEB), a Companhia Luz e Força Bom Jardim, e o acervo da Companhia Eletrificação Rural do Nordeste (Cerne) na Bahia, em 1973. A Coelba foi privatizada em leilão realizado na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro em 31 de julho de 1997, tendo sido adquirida pelo consórcio Guaraniana S.A., composto pela Caixa de Previdência do Banco do Brasil (Previ), Banco do Brasil e Iberdrola. Em 2004, a Guaraniana S.A. alterou sua denominação para Neoenergia.

Criação, pela Lei Estadual nº 943, de 3 de junho, da Empresa Distribuidora de Energia Elétrica em Sergipe S.A. (Energipe), com o objetivo de dar continuidade aos serviços de distribuição de energia no estado de Sergipe, anteriormente executados pelo órgão estadual Serviço de Luz e Força de Aracaju (SLFA). Em 1989, a empresa mudou sua denominação para Empresa Energética de Sergipe (Energipe). Foi incluída no Programa Nacional de Desestatização (PND) em 1995, sendo adquirida pela Companhia Força e Luz Cataguazes-Leopoldina (CFLCL) em leilão de privatização realizado em dezembro de 1997.
Autorização para funcionamento da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), pelo Decreto nº 45.410, de 12 de fevereiro. Atuou nos serviços de eletricidade da cidade de Brasília, capital federal, até a criação da Companhia de Eletricidade de Brasília (CEB), em 1968.




Membros Instituidores e Mantenedores:

ABCE CEMIG LIGHT ITAIPU BINACIONAL ELETROBRAS

Esta página está homologada para ser utilizada no navegador (browser) Mozila Firefox.
Caso você não o tenha instalado em sua máquina, utilize o link abaixo para baixá-lo.

Firefox